fbpx
BOOK NOW

Segue-nos nas
redes sociais!

facebook instagram

BOOK NOW
close info banner
Hey there!

Want to know more about our current Covid-19 measures and how you can book safely?

Dicas para te ajudar a escrever a tua tese

A temida tese. Quando começaste os teus estudos já sabias que ia haver um momento ao longo do caminho, em que terias que entregar algum tipo de trabalho final. Como estudante, é quase um ritual de passagem, estar meses com medo deste trabalho, procrastiná-la até ao último minuto possível e reclamar disso a todos os teus amigos do início ao fim. No entanto, o que tem que ser tem muita força.
Se te sentes um pouco sobrecarregado, reunimos algumas dicas sobre como escrever uma tese.

1. O que é uma tese?

Dependendo do nível de ensino e da área de estudo, o trabalho final será uma tese ou uma dissertação – os termos são frequentemente trocados. Regra geral, será uma tarefa mais extensa, cuja avaliação contará para uma parte significativa da tua nota final. Na maioria dos casos, uma tese pode ser:

  • Analítica, o que significa que irás questionar o como ou porquê algo é como é. Deves dividir o assunto em questões mais pequenas e chegar a uma conclusão apoiada nas evidências que recolheres.
  • Argumentativa, onde irás apresentar uma posição sobre um tópico que será debatido entre indivíduos razoáveis. Da mesma forma que acima, precisarás de evidências para apoiar os teus argumentos.
  • Explicativa, ou seja, o seu conteúdo não se irá basear na tua opinião, mas sim em provas concretas e factuais. Deverás investigar o assunto e expô-lo de forma clara ao teu público.

Se o academismo é o teu futuro, uma tese bem escrita pode ajudar a fundamentar as tuas cartas de recomendação, que por sua vez podem ajudar-te a entrar em programas melhores, ou obter uma bolsa de estudos.

2. Porquê escrever uma tese?

Antes de entrarmos em detalhes, é importante entender porque é que os alunos, na maioria dos casos, são obrigados a escrever uma tese. Embora seja óbvio que uma tese pode ser um testemunho do quanto aprendeste ao longo dos teus estudos, os teus orientadores e professores estarão a tentar ver se és capaz de:

  • Fazer pesquisas cuidadas sobre um assunto específico
  •  Expor uma posição ou argumento (seja neutro ou não)
  • Apresentar e discutir os resultados de maneira clara e concisa.

Isto, no entanto, não significa apenas que devas ler um monte de artigos de pesquisa e estruturar as informações para o teu público. Em vez disso, ver o teu trabalho como uma peça perdida de um puzzle maior. Pergunta a ti mesmo o que outros não viram e como sua pesquisa pode ser considerada uma contribuição.

3. Por onde começar?

Talvez uma das maiores decisões que terás de tomar: sobre que tema vais escrever. As opções são infinitas, mas existe uma maneira fácil de as restringir. Escreve sobre algo:

  • Que te interesse muito, porque terás que passar muito tempo a pesquisar sobre o assunto, assim poderás aproveitar a viagem. Se for um assunto que te desperte a curiosidade, uma tese final pode ser um trabalho muito gratificante.
  •  Sobre o qual tenhas literatura suficiente disponível para revisão, de forma a fornecer um suporte forte à tua discussão. Caso contrário, poderás ter dificuldade em todas as páginas.
  • Algo não muito pequeno ou grande em escala, o que permitirá que apresentes e tua tese dentro dos limites prescritos.

Se conseguires explicar numa frase, porque é que o tema escolhido merece atenção, é um bom sinal! Depois fazeres isso, pede a aprovação do teu orientador antes de começares o que pode ser considerado a etapa mais trabalhosa de escrever uma tese: A Pesquisa. Para garantir que dominas esta fase sem esforço, segue o nosso conselho e sê organizado desde o início! Evitarás alguns estragos mais adiante no processo.

Aqui ficam algumas dicas para quando começares a pesquisar:

  •  Define o que vais procurar, assim não passarás horas a ler informação que afinal não vais precisar. Escreve um resumo dos textos relevantes para que possas encontrar o caminho de volta quando começares a formular os teus pensamentos.
  • Agrupa a informação por temas, o que também o ajudará a organizar a estrutura do trabalho de uma forma mais eficiente.
  • Usa as referências desde o início porque ninguém quer uma bibliografia desleixada, apressada ou, pior ainda, imprecisa. Verifica qual estilo de referência que a tua escola usa, pois isso pode variar. Se o estilo exigido for APA, Chicago ou MLA, o Google Scholar pode ajudar com citações. Neste caso, não te esqueças de rever as citações porque a tecnologia nem sempre é perfeita!

Como um sábio usuário do Twitter (@SciBry) disse certa vez:
“Pesquisa é passar 6 horas a ler 35 artigos, para escrever uma frase com duas referências”.
Com isto queremos dizer, faz com que conte!

4. Como estruturar uma tese?

Depois de fazer uma boa parte da pesquisa, podes começar a estruturar o artigo. Dependendo do tipo de tese que estás a escrever, a estrutura pode variar, mas geralmente consiste nos seguintes segmentos:

  •  Uma proposta de pesquisa, que podes ter já preenchido e entregue para aprovação, antes que qualquer pesquisa extensa tenha sido iniciada
  • Um título, informativo e direto ao ponto e que desperte o interesse do público-alvo.
  • Agradecimentos, que não são considerados obrigatórios, mas são habituais.
  • Um resumo, que pode ser definido como um resumo de todos os elementos principais do seu trabalho, que ajudará o leitor a compreender o seu propósito, antes de virar a primeira página.
  • Um índice, que detalha todos os capítulos e subseções de acordo com o número da página.
  • Uma lista de figuras e tabelas, principalmente se ocuparem uma parte significativa do seu trabalho.
  • Um glossário ou seção de abreviações, para familiarizar o leitor com os termos ou definições que possam surgir. Organiza-o por ordem alfabética.
  • Uma introdução, que é curta e clara que exponha a discussão que propões, como e por quê.
  • Um resumo da literatura, como foi abordado no ponto # 3.
  • Resultados, conclusões da pesquisa que ajudarão no início de sua discussão.
  • Uma conclusão, que nunca incluirá nenhuma informação nova, mas atualizará o leitor sobre o que foi apresentado.
  •  Quaisquer seções extras, como as referências, o que não as torna menos importantes!

5. Dicas adicionais

  • Se tiveres a opção de selecionar um consultor, certifica-te de que ele é adequado para ti. Um consultor competente poderá dar-te o suporte de que precisas durante este processo. Esclarece as tuas necessidades e expectativas desde o início (como a frequência com que gostarias de receber feedback ou quantos rascunhos pretendes enviar) para garantir que ambas as partes estão na mesma página.
  • Aproveita o feedback dos teus amigos ou colegas. Na maioria das vezes, uma nova perspetiva pode ajudar a ultrapassar bloqueios de escrita, inconsistências ou outras falácias que possas encontrar no teu trabalho.
  •  Verifica se há plágio no trabalho antes de o enviares ou as consequências serão graves. Se a tua instituição consegue fazer a verificação, tu também consegues. Há uma variedade de verificadores de plágio disponíveis online e gratuitos.
  • Sabemos que este conselho provavelmente cairá em ouvidos moucos, mas devagar se vai longe! Começa sua tese cedo e facilita o teu caminho pelas diferentes fases para não dares em doido. Algumas pessoas trabalham bem sob pressão, mas tenta guardar este tipo de pressão para outro dia.

Com estas dicas, esperamos te sintas pronto e motivado para começar a viagem.

Nikolina

Autor

Nikolina is our Sales and Marketing Intern. She´s an old soul who spends her free time listening to Sinatra and watching old movies. Her dream is to move to New York and make a career in show business.

READ MORE FROM NIKOLINA
Best Operator 2020